Hora de Investir é AGORA.

29 de janeiro de 2020

Balneário Camboriú, SC, tem terceiro metro quadrado mais caro do Brasil, diz pesquisa

Cidade fica atrás apenas de São Paulo e Rio de Janeiro. No estado, Itajaí aparece como município com mais valorização dos imóveis.
Por NSC TV e G1 SC
08/01/2020 22h43
Balneário Camboriú, no Litoral Norte catarinense, tem o terceiro metro quadrado mais caro do país, de acordo com o Índice FipeZap de Preços de Imóveis Anunciados. A média é de R$ 7.359 mil. No estado, as cidades que tiveram mais valorização dos imóveis em 2019 foram Itajaí e Florianópolis.
O município de Balneário Camboriú é conhecido pelos arranha-céus. Porém, para se comprar um imóvel no local é preciso investir bastante dinheiro. A cidade fica apenas atrás de São Paulo e Rio de Janeiro no quesito valor do metro quadrado.
Levando em conta a média, um apartamento de 70 metros quadrados custa cerca de R$ 511 mil. “Balneário Camboriú vende para o Brasil e para o mundo. Valorizou-se o imóvel em Balneário Camboriú, a qualidade de vida daqui, a qualidade dos imóveis”, disse o presidente do Sindicato da Indústria de Construção Civil de Balneário Camboriú (Sinduscon), Nelson Nitz.
Depois da cidade do Litoral Norte, os municípios catarinenses que aparecem na lista são:
•               Florianópolis – média de R$ 7.027 o metro quadrado
•               Itapema, no Litoral Norte – média de R$ 6.386 o metro quadrado
•               Itajaí, no Vale – média de R$ 6.088 o metro quadrado
•               Joinville, no Norte – média de R$ 4.697 o metro quadrado
•               São José, na Grande Florianópolis – média de R$ 4.062 o metro quadrado
•               Blumenau, no Vale do Itajaí – média de 3.984 o metro quadrado
O levantamento, feito em parceria pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e pelo Grupo Zap, ligado ao mercado imobiliário, o Índice FipeZap de Preços de Imóveis Anunciados acompanha o preço médio de apartamentos prontos em 50 cidades brasileiras com base em anúncios da Internet.
Valorização dos imóveis
Em relação ao índice de valorização dos imóveis, Itajaí aparece no topo da lista estadual, com 4,16% . Já Florianópolis é o segundo lugar do estado, com 3,3% neste índice de valorização.
O empresário da construção civil Nivaldo Pinheiro explicou que a infraestrutura e a perspectiva desenvolvimento das cidades fez o índice aumentar. “Isso atrai pessoas que buscam um ambiente seguro, mas um ambiente que tenha estrutura para você viver com qualidade de vida”, disse. 

Saiba como Investir em Imóveis.

07 de dezembro de 2019

Você sabe qual é o investimento preferido das mulheres brasileiras? Imóveis. 

 
Segundo um levantamento da consultoria paulista Quorum Brasil feito a pedido da revista IstoÉ Dinheiro, uma em cada cinco mulheres investia em imóveis:
 
 
Em 2013, essa relação passou para uma em cada três mulheres! Este tipo de investimento costuma atrair a atenção do público feminino por ser uma alternativa de longo prazo, considerada mais segura. Com base nessas informações, aprenda como investir em imóveis:
 
1. Antes de Comprar: 
 
Investimentos em imóveis podem ser uma alternativa bem popular entre mulheres, mas antes de tomar sua decisão, você precisa considerar alguns fatores. O principal deles é o fato de ser uma opção de longo prazo com baixa liquidez. 
 
Isso significa que se você for precisar do dinheiro em pouco tempo, investir em imóveis não é uma opção recomendada. Segundo Nick Dagan, diretor da Esser Incorporadora, o prazo mínimo para um investimento imobiliário é de 3 anos. “A investidora precisa ter a tranqüilidade de que não necessitará do valor investido neste período”, explica.
 
2. Poupança Forçada:
 
Já que o valor que você quer investir estará (literalmente) imobilizado, comprar um imóvel como um investimento pode ser uma boa opção para sua poupança. “Muitas vezes, o investimento imobiliário é uma poupança ‘forçada’: uma maneira de nos obrigar a não ‘torrar’ nossa liquidez e poder aumentar nosso patrimônio”, afirma o diretor da Esser.
 
3. Tenha seus objetivos Claros:

Na hora de comprar um imóvel, você precisa saber se a sua idéia é investir para depois revender ou então para alugar e contar com uma renda mensal.


Se a opção for à revenda, investidores normalmente optam por comprar um imóvel na planta, esperam a entrega dele e então procuram um comprador. 
 
Quem compra na planta normalmente paga valores mais baixos pelo imóvel, então vender na hora que ficou pronto pode ser uma oportunidade. Neste caso, você precisa então pesquisar por quanto se vende um imóvel semelhante pronto, de preferência com localização semelhante ao do imóvel que você está de olho.
 
Se a sua opção for comprar para alugar, você também precisa começar pela pesquisa. “Pesquise por quanto se aluga um imóvel pronto semelhante ao que pretende adquirir, compare o valor do aluguel com a importância investida. Esta será a rentabilidade da aplicação. 
 
“Para saber se vale a pena, você pode comparar com uma aplicação financeira”, ensina Nick. Desta forma, você consegue saber de forma muito clara o tipo de retorno que você pode esperar na hora que começar a receber o aluguel, e como isso se compara com uma aplicação no mercado financeiro, que não exige todo o trabalho envolvido em um investimento imobiliário.
 
4. Saiba os Custos: 
 
Se a sua idéia for alugar o imóvel, você vai ter que pagar Imposto de Renda sobre o aluguel. As alíquotas são progressivas e o pagamento é mensal, via carnê leão. Na hora de revender, você precisa pagar Imposto também sobre o ganho de capital, que pode variar de 0% a 15%. 
 
Se paga também o Imposto sobre Transmissão de Bens Móveis (ITBI), tributo municipal. Em São Paulo, ele é de 2%. Além disso, há todas as taxas de certidões e cartórios: na hora de vender, o proprietário do imóvel acaba pagando cerca de R$ 500 em certidões negativas.

Se for para comprar, o valor sai por entre 1% a 1,5% do valor total, para lavrar e registrar a escritura.
 

5. Conheça os Riscos:
 
Você se animou para comprar um imóvel e investir? Então vá com calma e pesquise bastante. Na hora de comprar um imóvel na planta, procure sempre fechar o negócio com empresas sólidas e tradicionais do mercado, você não vai querer correr o risco de a empresa falir e o seu investimento ir por água abaixo. 
 
Uma boa forma de entender o funcionamento da empresa é analisar seu histórico, pontualidade na entrega das obras e reclamações de cliente. E na hora de fechar o negócio, tenha sempre uma assessoria jurídica. Não dá para assinar um contrato que não tenha sido analisado antes por um advogado!
 
6. E as Vantagens?
 
O principal benefício percebido na hora de investir em imóveis é a sua solidez. “É um patrimônio que não pode ser congelado, confiscado, resiste a crises financeiras, firme como um tijolo!”, defende o diretor da Esser. 
 
Segundo ele, o mercado atualmente vem passando por um momento muito bom: “os imóveis estão dando um excelente retorno, bem acima de uma aplicação financeira”. Na avaliação da incorporadora, um investimento de longo prazo no mercado imobiliário pode atingir uma rentabilidade média de 20% ao ano, um retorno bem maior do que a taxa atual de juros do Brasil, de 7,5%.
 
Gostou das Dicas? Então conte para nós as suas dúvidas, vamos ajudá-los a investir em imóveis!